Os #cloudspecialists da Darede reuniram as principais novidades de Compute & Networking da AWS! Confira quais são elas e como elas podem te ajudar!

21/06/2022
Por Thiago Marques
Todos os dias a AWS lança uma série novidades e atualizações em seus produtos que visam melhorar a vida de seus usuários. Reunimos algumas delas que fazem mais sentido para nosso mercado e que certamente aplicaremos em nosso dia a dia. Confira as últimas novidades sobre Compute & Networking!

Compute

Amazon EC2 I4i metal – Novas Instâncias

Desde 16 de maio as regiões de Ohio, N. Virginia, Oregon e Irlanda tem suporte as instâncias I4i metal. Com uma capacidade voltada a um consumo massivo de I/O no que tange a armazenamento, com processadores Xeon de 3ª geração.
As instâncias são recomendadas para bancos de dados como mysql, oracle DB e Microsoft SQL, além de outros NoSQL.

Amazon EC2 Auto Scaling – Novo recurso que retrocede os dados em 14 dias

Até essa novidade o tipo de ASG chamado preditiva precisava de um tempo habilitado, pois utilizada disso para gerar as previsões com base no histórico formado.
Agora ele consegue retroceder 14 dias de dados, e com isso gerar as previsões futuras. Lembrando que sempre é possível criar o ASG com a opção de ‘forecastOnly’ que vai apenas sugerir, e depois de avaliação alterar para ‘forecastAndScale’.

Amazon EC2 – Novas instâncias C7g

Anunciada no re:Invent de 2021, as novas instâncias C7g com graviton3 (última geração do gráviton), que é sugerido para workloads com necessidade de poder computacional intenso, como HPC, codificação de vídeos inferência de machine learning (em CPU).
Essa nova versão já tem suporte à memória DDR5, além de uma largura de banda em redes 20% maior.
Com a novidade aqui anunciada, as instancias ficam disponíveis para o público geral, ou seja, já é possível programar a migração das C6g nas regiões de N.Virginia e Oregon.

Amazon EC2 – Instâncias Hpc6a disponíveis em novas regiões

E com mais uma instância lançada, está disponível em Ohio e Estolcomo as instâncias Hpc6a, que tem são para atender uma necessidade similar as instâncias C7g, ou seja, para workloads com necessidade de poder computacional intenso.
A diferença entre eles é que instâncias C7g chegam a 64 vCPU e 128GiB, já as Hpc6a possui 96vCPU e 384GiB.

Amazon EC2 – Novas instâncias C6, M6 e R6id

Com um hat trick no lançamento das instancias com características de NVMe-based, ou seja, são aquelas instancias que possuem um SSD no próprio host onde a instância esta hospedada.
Com essa novidade tanto as instancias do tipo “C” (voltadas para CPU mais elevada), do tipo “M” (voltada para instancias mais balanceadas) ou do tipo “R” (voltada para instancias com mais memória), possuem uma atualização no que tange a capacidade do SSD, além de performance de rede maior e um clock de CPU ligeiramente maior.

Network

AWS re:Post – Integração com AWS Well-Architected Tool

O re:Post (também lançado no reinvent de 2021), é um fórum de perguntas e respostas da comunidade sobre os serviços AWS, e desde seu lançamento já gerou diversos post de ajuda, e documentos técnicos.
A novidade é que agora é possível fazer uma ‘pergunta ao especialista’ diretamente pelo WA Tool. Assim caso tenha dúvidas em uma questão e/ou uma sugestão de como resolver a questão em si, é possível fazer a pergunta no re:Post (lembre-se sempre que não existe um SLA para resposta no fórum).

AWS Transit Gateway Network Manager – Suporte a múltiplas contas

Finalmente temos o lançamento de gerenciamento do transit gateway via network manager com multi-accounts. Com isso agora se pode utilizar o gerenciamento do network manager de forma centralizada para várias contas na Organizations ( o que já acontecia por exemplo com o firewall manager ).

Amazon Route 53 – Recurso de IP-based para resposta de queries DNS

Finalizando as novidades, tempo uma nova característica para o serviço mais importante da AWS, o Route53.
A novidade hoje é a possibilidade de se usar IP-based para resposta de queries DNS, ou seja, agora é possível ter entradas DNS com base no IP de origem do cliente.
Isso te gera a possibilidades, por exemplo, de segmentar as aplicações que antes ‘empatavam’ nos requisitos. Por exemplo, imagine que sua aplicação fique em SP (centro), mas você quer a resposta da aplicação seja diferente para clientes que vem da operadora “XPTO”. Você não poderia usar geolocalização, nem latência, nem peso. Contudo, agora você pode pegar o CIDR desse nicho e garantir essa resposta.
Existem algumas limitações como por exemplo:
– máximo de 5 CIDRs (/22) por conta;
– queries são baseadas na máscara e não no padrão ‘numérico’ (200.185.0.0/24 é diferente de 200.185.0.0/22);
– sem suporte para zonas privadas;
– CIDR mínima é um /24;
Quer saber as últimas novidades da AWS? Leia nosso blog!

E acompanhe toda sexta-feira em nosso canal do Youtube nossa live sobre as Novidades da AWS.

foto-thiago-marques

Thiago Marques
Technical Account Manager
thiago.marques@darede.com.br

Technical Account Manager da Darede, formato em Rede de Computadores, e pós graduado em Segurança da Informação. Possui ampla experiência em Datacenters e Service Providers, além de ser um entusiasta em DevOps e mercado financeiro.

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Microsoft Azure passa a faturar em Reais

A Microsoft anunciou nesta quinta-feira, 28, que, a partir do dia 1.º de março, irá adequar o valor dos serviços da plataforma Azure para o real. Com isso, o custo das ferramentas do Azure serão reajustadas em 21% para que seja possível alinhá-las aos preços praticados em dólar. Entretanto, a Microsoft garante que, mesmo com esse reajuste, os usuários do Azure que optarem pelo faturamento em real, o valor desses serviços continuará competitivos. Com uma avaliação periódica do valor de seus produtos, a Microsoft busca garantir um alinhamento entre regiões e suas moedas, de forma que uma valorização ou desvalorização cambial não prejudique os usuários da plataforma, e esse reajuste é a prova disso. Veja como as mudanças do faturamento do Azure afetam cada modalidade de contrato: Contratos Enterprise As empresas que possuem assinaturas do Contrato Enterprise, terão a proteção dos valores dos serviços já contratados. E ao adquirir novos recursos terão a vantagem de obter um preço base menor ou de um preço de mercado, dependendo da ferramenta. O que garante que se o preço de mercado for superior ao preço base, sua empresa não tenha um aumento expressivo nos custos dos serviços contratados. Clientes no modelo Pay-as-You-Go Os clientes do modelo Pay-as-you-go não possuem requisitos mínimos de compra e possuem custos altamente flexíveis. E para esses usuários, o valor dos serviços contratados serão reajustados de forma que se aliem aos preços praticados na moeda americana. Azure in Cloud Solution Program (CSP) Os preços dos serviços contratados pelos clientes do CSP no Brasil não serão faturados em real, por isso não serão afetados por essa mudança. Programa Open Licensing Assim como os usuários que adquirem os serviços do Azure através do modelo Pay-as-you-go, os clientes que integram o programa Open Licensing também terão um reajuste nas taxas de consumo, que a partir de 1.º de março, serão ajustados para se alinhar ao dólar. Em caso de dúvidas entre em contato com a Darede! Nossos profissionais, especialistas em Microsoft, estarão prontos para sanar todas suas questões! Mande um e-mail para: contato@darede.com.br Confira os melhores artigos de tecnologia em nosso blog!

O que é Disaster Recovery?

Para evitar surpresas, possuir um plano de Disaster Recovery é essencial para garantir o bom funcionamento de um ambiente de TI. Veja o artigo que explica esse conceito!

Tecnologias de Cloud Computing revolucionam o setor de Qualidade.

A tecnologia da nuvem revolucionou vários setores em todo o mundo, e o setor de qualidade é um deles que foi significativamente transformado por essa mudança. Neste artigo, vamos ver quais ferramentas de computação em nuvem estão sendo utilizadas e como impactam o setor de qualidade.

Nós usamos cookies para garantir e oferecer a melhor experiência de navegação em nosso site! Mais informações