Entenda quando podemos utilizar o Amazon AppStream e o Amazon Workspace! Conheça esses serviços no artigo do blog da Darede!

30/08/2023
Por José Anderson Vila Nova

Se você já pesquisou um pouco sobre esses serviços da AWS, já deve ter notado, que são serviços muito parecidos. Em ambos, uma imagem com Windows Server ou Linux é disponibilizado ao usuário com softwares pré-definidos. O administrador prepara uma golden image (template), com todos os softwares e configurações necessários para que o usuário possa executar suas tarefas. Mas será que posso utilizá-las em qualquer situação? Vamos ver nesse artigo algumas recomendações de quando utilizar cada um dos serviços. 

O que é Amazon AppStream?

O Amazon AppStream, disponibiliza uma imagem padrão com algumas versões base do Linux ou do Windows Server, customizadas pelo administrador, para o usuário final. Essa imagem é então disponibilizada em dois formatos aos usuários: modo desktop ou modo app. A diferença basicamente é que no modo desktop, o usuário tem acesso a instância, da mesma forma que ele utiliza no seu notebook. Acesso ao menu iniciar, abre programas, navega na internet etc. No modo aplicação, é carregado na tela para o usuário somente a aplicação. Assim o usuário não tem acesso a qualquer outro recurso do sistema operacional. 

O que é Amazon Workspaces?

O administrador escolhe uma imagem base, a inicia, personaliza conforme a necessidade os seus aplicativos, e então a disponibiliza para os usuários, com todas as personalizações que foram realizadas. Neste cenário, o usuário recebe uma imagem no formato desktop, e ele possui a mesma experiência que tem ao utilizar um computador. Acesso ao menu iniciar, programas, navega na internet, pode salvar seus arquivos, utilizar a instância já inserida em um domínio do Microsoft Active Directory, acessar recursos de rede etc. 

O que difere entre os serviços

Embora sejam dois serviços que possuem muitas semelhanças, existe algumas diferenças que os fazem ser únicos e com propósitos diferentes. A principal diferença está na persistência de dados. O Amazon AppStream é um serviço feito para iniciar, disponibilizar a imagem personalizada ao usuário e após o seu uso, ela será encerrada para sempre! No dia seguinte, quando o usuário conectar ao serviço novamente, outra instância com base na sua imagem personalizada será disponibilizada. Se o usuário salvou arquivos ou fez downloads no dia anterior, eles não estarão mais disponíveis no dia seguinte, pois ele utilizará uma instância completamente nova. Existe a opção de manter o perfil do usuário persistente, existem limitações. Já o Amazon Workspaces, cria uma instância para o seu usuário (com base em uma instância que você personalizou), que será persistente, ou seja, a mesma instância que o usuário utilizou no dia anterior, será disponibilizada para ele novamente no dia seguinte. Os arquivos que ele salvou na raiz do diretório C:\ do disco, por exemplo, estará lá disponível para ele, no próximo dia. Esse serviço cria uma experiência para o usuário de desktop virtual. 

Quando usamos o Amazon AppStream e o Amazon Workspaces?

Dependerá muito do seu cenário. Mas como exemplo, o Amazon AppStream é excelente para disponibilizar aplicações assim como no Citrix ou no Remote Desktop Services, desde que todas as modificações sejam salvas em um banco de dados ou qualquer outro lugar, por exemplo. Assim, para o usuário não importa qual instância ele utiliza, pois os dados utilizados estão em um repositório central, e não está na instância temporária. 

Sabe aquela sua aplicação antiga, que trabalha conectada a um banco de dados, e que você ainda não concluiu a migração, mas é essencial para os seus negócios? O AppStream é excelente para esse cenário. Você pode disponibilizar quantas instâncias você precisar em horário de pico, por exemplo, e reduzir a quantidade disponível em horários de pouco ou nenhum uso. Assim, você pagará apenas pelos minutos e quantidade de instâncias disponibilizadas! 

O Amazon Workspaces é uma excelente opção quando você quer disponibilizar um desktop virtual para o seu usuário, por exemplo. Ele terá a mesma experiência de utilizar os aplicativos em seu notebook. As empresas podem tirar vantagem desse serviço por conseguir manter o ambiente controlado com políticas de segurança, por exemplo, e garantir que por mais simples que seja o dispositivo de acesso, antiga ou nova, o usuário terá uma excelente experiência, pois o processamento todo ocorrerá remotamente. Mantendo o usuário dentro da instância Amazon Workspace, a empresa pode limitar o uso de softwares, e garantir que o antivírus e a instância estejam sempre atualizados, por exemplo. Além disso, ele poderá acessar o seu VDI, a partir de qualquer dispositivo que tenha suporte. Poderá acessar por meio de um celular Android ou iOS com suporte, por exemplo. 

O Amazon Workspaces, ao contrário do Amazon AppStream será cobrado por instância disponibilizada. Lembre-se que, por ser instâncias persistentes, se você tiver 20 usuários que o utilizam, por exemplo, mesmo que você as mantenha desligadas em determinados horários, os discos das 20 instâncias continuam existindo. Você poderá fazer os cálculos e pagar por hora, ou mensal. No entanto, utilizar uma Amazon Workspace em cenários que o Amazon AppStream atenderia, pode ser mais custoso. O Amazon AppStream, no entanto, poderá disponibilizar 50 instâncias em horário de pico, e ter somente 2 executando em horários de baixa utilização. Ele literalmente excluirá as instâncias que não estão em operação. 

E resumo, opte pelo AWS Workspace para fornecer uma experiência de VDI ou necessidade de persistir dados na instância para o seu usuário, e utilize o AWS AppStream 2.0 para fornecer softwares legados, por exemplo, aos seus usuários, e onde não exista necessidade de persistir dados na instância. 

Esperamos que esse artigo tenha o ajudado a entender um pouco melhor sobre e quando utilizar cada serviço. 

foto-jose-anderson-vila-nova
José Anderson Vila Nova Cloud Architect
anderson.vilanova@darede.com.br

O José Anderson Vila Nova Profissional de Infraestrutura com ênfase em produtos Microsoft, com experiência no suporte e implantação de aplicativos e serviços. Ele possui diversas certificações técnicas e das duas maiores plataformas de serviços em nuvem: a MS100 da Microsoft e a AWS Cloud Practitioner.

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Amazon Q

Amazon Q

A tecnologia de inteligência artificial está evoluindo e o Amazon Q Service é uma resposta a essa revolução que impacta a tecnologia e aprimora seu nível. Quer descobrir como funciona? Conheça as contribuições incríveis da inteligência artificial com o Amazon Q neste artigo!

Conhecendo o SIOS Datakeeper

Conheça uma ferramenta capaz de fornecer replicação de dados do Windows Server em tempo real em um cluster AWS, o SIOS Datakeeper!

Nós usamos cookies para garantir e oferecer a melhor experiência de navegação em nosso site! Mais informações